Escola Kids

Textos persuasivos

  • Atualmente 5/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Textos persuasivos A finalidade dos textos persuasivos é convencer

Imagine-se atravessando a rua e se deparando com um enorme outdoor; sentando à mesa de um estabelecimento e presenciando alguém entregando panfletos, enfim... Amiguinho(a) usuário(a), nesse imaginar de circunstâncias que sugerimos, você pôde perceber que são situações ocorridas com qualquer um de nós, ou seja, diz respeito a algo bastante recorrente, corriqueiro.

Assim, não somente esses pequenos exemplos, mas também vários outros representam o que, teoricamente, denominamos de gêneros textuais. Eles, por sua vez, materializam-se por momentos específicos em que identificamos em cada um deles uma intenção, um propósito por parte do emissor, ou seja, aquela pessoa que fala e/ou escreve. Dessa forma, não há nada melhor nesse nosso encontro que discurtirmos acerca de alguns desses gêneros que se enquadram na categoria dos chamados textos persuasivos. Assim, voltando aos exemplos acima mencionados, bem como conhecendo outros, constatamos que esses textos se pautam pelo fato de convencer, seduzir, induzir o interlocutor a adotar um determinado tipo de comportamento. Veja alguns exemplos:

Os textos persuasivos induzem o interlocutor a adotar uma determinada postura
Os textos persuasivos induzem o interlocutor a adotar uma determinada postura

Anúncio publicitário

A finalidade de quem se dispõe a criar um anúnico publicitário é a de vender uma ideia, um produto, anunciar acerca de um determinado evento, entre outros propósitos.

Anúncio classificado

Comprar, vender, trocar, alugar, anunciar acerca de algo que se encontra desaparecido, anunciar e procurar sobre ofertas de empregos, entre demais intenções.

Campanha comunitária    

Mobilizar a população a adotar um determinado tipo de postura, tendo em vista a conscientização acerca de um determinado problema social.

Cartaz

“Diga não à violência!”  Trata-se de um discurso que pode estar presente nos cartazes usados por pessoas que participam de uma “Marcha pela Paz”, por que não?

Como se vê, induz o interlocutor, de uma forma geral, a demonstrar aversão à violência.

Pois bem, diante dessas elucidações, é bom não se esquecer de que a todo o momento convivemos com os textos considerados persuasivos, e o melhor: sem precisarmos sair de casa, bastando para isso que olhemos na caixinha de correspondências, não é mesmo?


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Avaliação

10.0

Participação: Nenhum comentário

Avaliação:

Se você quer comentar também Clique aqui


    Escola Kids

    R7 Educação